terça-feira, 25 de dezembro de 2012

Como concretizar, 2012. Parte15.


Como concretizar, 2012. Parte15.

Amenizar efeito carmico. (Tenjuu kyoju).

Os carmas acumuladas nos passados podem interferir na vida desta existência e das futuras existências.

Quando você pratica o verdadeiro budismo pode amenizar este efeito, graças ao poder do gohonzon e da força da sua prática.

Muitas das vezes este benefício não é percebido porque as pessoas não fazem a ideia do tamanho original das carmas acumuladas nos passados.

Nossos carmas foram acumulados em quantas existências? Sutra afirma que se juntarem as lágrimas que você derramou cada vez que seus pais morreram, teria mais lágrimas do que água de todos os oceanos juntos.

Os carmas que foram acumulados durante todos os tempos não foram pouca coisa não.

Quando você for cobrado de uma dívida de R$ 500,00. Você pode achar ruim, mas se você souber que esta importância é o resultado de um desconto especial da dívida original de R$ 5.000.000,00. Você agradeceria muito e muito.

Somente as pessoas que tem fé genuína e prática dedicada, poderia chegar a este nível de compreenção e gratidão.

Transformar o veneno em remédio. (Hendoku iyaku).

Nas nossas vidas cotidianas, estamos sujeitos a encontrar com todos os tipos de problemas e sofrimentos. Seja qual for a origens e o tamanho dos sofrimentos, nós podemos transformá-los como umas fontes das alegrias e das felicidades, devido à força do gohonzon.

Este benefício do gohonzon não é automático é necessário, uma forte decisão e a prática dedicada da pessoa.

Quando aparece algum problema na sua vida, você deve fazer uma decisão que através da sua prática redobrada e dedicada, você irá transformar este veneno em remédio. Não é que o veneno diminui e o remédio aumenta. O próprio veneno se transforma em remédio, isto significa que quanto maior o tamanho do seu sofrimento, maior será sua alegria e felicidade.

Não importa,  quais são os tipos de problemas vierem. Vamos transformar tudo como início de uma grande felicidade?!!!

Benefícios conspícuos e inconspícuos. (Kenyaku e myo yaku).

Existem dois tipos de benefícios, conspícuos e inconspícuos.

Benefícios conspícuos são aqueles benefícios que aparecem e fáceis de ser reconhecidos. Benefícios inconspícuos são aqueles benefícios que são mais difíceis de serem percebidos, mas, quando refletimos atentamente, notamos uma grande transformação.

Existem 4 maneiras de benefícios aparecerem, em relação as orações.

·        Orações conspícuas, benefícios conspícuos.

·        Orações conspícuas, benefícios inconspícuos.

·        Orações inconspícuas, benefícios conspícuos.

·        Orações inconspícuas, benefícios inconspícuos.

Exemplos:

·        Você orou com os objetivos definidos e você conseguiu.

·        Você orou com os objetivos definidos e você não conseguiu, parecia que sua oração não teve efeito. Mais tarde, você percebe que o fato de não realizou o seu desejo naquela hora, era um grande benefício.

·        Você não orava conscientemente algum objetivo, mas praticava firme, quando escapou de um grande acidente, percebeu que teve enorme proteção.

·        Você sempre praticou firme, independente das circunstâncias, quando olhou para trás, você percebe que havia conquistados muitos passos de felicidades.

Segundo Nitiren Daishonin, “Na era atual, maiores benefícios são os benefícios inconspícuos”.

Frecha venenosa.

Uma pessoa ficou acertada por uma flecha, entretanto, a vítima não queria que retirasse esta frecha que foi atirado por mal intencionado.

Porque queria saber antes; quem foi o criminoso?  A fecha foi solta por que arco? Quem atirou? Quem fabricou? Quando foi fabricado? Etc. As pessoas que estavam socorrendo ficaram pasmados.

 Demorou e o veneno atingiu ao órgão vital e a vítima morreu.

O mais importante era salvar a vida da vítima, não era hora de discutir as coisas de menor importância.

Moral da história: Faça o que é mais importante primeiro. O resto, deixa depois! Receber Gohonzon e viver a vida  de felicidade primeiro, Resto, depois a gente ver.

Final da parte 15,   continua na parte16.  Novembro de 2012.  Eiichi Sago.

 

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário