Tesouro do Coração





Próxima existência.

 

Danele Melo.

 

Oi tudo bem?

Senhor Eiichi, eu gostaria de saber se poderia me enviar alguma matéria ou explanação que me explicasse sobre "próxima existência".

Meu marido me perguntou que se uma pessoa morrer e vir como um animal, como ela poderá transformar seu carma nessa forma? e se ela poderá voltar como humana na próxima?

 

desde já agradeço Obrigada.

x----------x----------x----------x----------x----------x----------x----------x---------

Carta a Niike

(Niike Gosho – Páginas 1439 a 1444) END 4º vol. Pág. 277.                                                   

Que felicidade é nascer nos Últimos Dias da Lei1 e poder compartilhar a propagação do Verdadeiro Budismo! Quão dignos de pena são aqueles que, embora nascidos nesta época não podem crer no Sutra de Lótus!2

Ninguém pode fugir à morte, uma vez nascido como ser humano; então, por que não praticar como preparação para a próxima vida? Quando observo o que as pessoas estão fazendo, percebo que, embora professem a fé no Sutra de Lótus e conservem os seus manuscritos, elas agem contra o espírito do Sutra e assim caem prontamente nos maus caminhos.

x----------x----------x----------x----------x----------x----------x

Oi, Danele.  Na verdade não sei, não me lembro experiências das vidas anteriores. Simplesmente eu acredito no Budismo.

Segundo ensinamento do Buda, nascer como humano é privilégio muito grande, só os humanos que podem fazer exercícios budistas e acumular boa sorte.  

Pelo fato de que nós nascermos como humanos e encontramos  com budismo de Nitiren Daishonin, porque deve ter feito muitas boas causas.

Os que nasceram como bichos, infelizmente não fizeram muito boas causas.

Como seremos na próxima existência ?...Ninguém sabe, se nascermos como humanos de novo, ou como bichos ?

Então, vamos lutar, acumular boa sorte de nascermos como humanos, encontrarmos com o mestre, e lutar para Kosen Rufu. Não vamos descuidar.  Não é ?  Obrigado.

        
Maio de 2013.             Eiichi Sago.   

 



Nossos mestres.  Com muito orgulho !

"O meu mestre Jossei Toda costumava dizer: 'Saiba desfrutar
prazerosamente a vida sem ser perturbada com o que vestir, com o que comer e com onde morar. Se aprenderem essa fórmula, a vida será muito mais feliz. Diante dos fatos da vida, não sejam demasiadamente sentimentais, muito menos temerosas.' Ele dizia que viver é uma arte.                   Daisaku Ikeda.

 

A chave para qualquer desafio é tomar a ofensiva. Os que estiverem pronto para encarar as dificuldades de frente ficarão na dianteira.

                                                 Jossei Toda.

 

Se você não tem coragem de ser um inimigo do mal, também não pode ser um amigo do bem.         Tsunesaburo Makiguti.

 

Se você acender uma luz para alguém, tambémilumina seu caminho.                                    Nitiren Daishonin.

 

Aquele que não tenta avançar, não encontrará nenhum obstáculo, não tem nada que se preocupar, e por isso não se desenvolve.        

                                                 Daisaku Ikeda.

 

Abril de 2013.     Eiichi Sago.                                        


 

 

 


 
Quanto mais velho melhor?


Dizem que, vinho melhora aroma, sabor e qualidade, com tempo. Quanto mais velho fica melhor.

Enquanto, maioria dos alimentos, quando passa determinado tempo, começam estragar, abaixando as qualidades, até não servem como alimentos. Por que será?

Porque no vinho e outros alimentos que são feitos por processo de fermentação, utilizam trabalhos de micros organismos chamados Lacto-bacilos que provocam as fermentações e produz melhores aromas e sabores.

Em cada vinícola moram bacilos invisíveis, diferentes, que produzem os aromas e sabores diferentes, tradicionais àquele fabricante. Os fabricantes conservam com todo carinho, limpezas dos recipientes, ferramentas e processos de fabricações, para poderem continuar ótimas qualidades tradicionais dos seus produtos. E têm que tomar muito cuidado para não deixar os micro organismos nocivos proliferem.

Nossa prática da fé também é parecida, você deve cultivar e desenvolver sua prática dos longos anos, conservando cuidadosamente, fé, prática, estudo de Jigyo, Keta. Com tempo, você consegue vários benefícios, e transforma sua vida para felicidade.

Entretanto, se você descuidar e permitir entrar, mesmo que seja um pouquinho, e deixar penetrar elementos nocivos de Hoboo(Calúnias), apodrece rapidinho antes de ficar bom.

Quanto mais velho fica melhor ou não, depende de você continuar o processo de maturação com cuidado ou não.

Abril de 2013.          Eiichi Sago.

 

 





Hoboo. (Calúnia).

Hoboo significa caluniar o Verdadeiro Budismo de Nitiren Daishonin. Entretanto, explicar Hoboo para outras pessoas, não é uma tarefa simples assim.

Porque, o Brasil recebeu forte influência da cultura cristã, por longos anos, e está enraizada nas nossas vidas cotidianas. Uma visão de que algum ser superior está controlando em tudo no universo.

O budismo veio do oriente, trouxe uma visão completamente diferente para reconhecimento do universo. O que rege o universo é a lei, baseada em causa e efeito.

Evento da vida que traz beleza, lucro, e beneficia outros, chama de benefício, e evento que traz feiura e desgostoso, prejuízo e prejudica outros, chama de castigo. Não necessariamente controlado ou dado por alguém.

Existem 3 tipos de leis, leis de sociedade, leis de país, leis do universo. Leis de sociedade beneficiam pelas aparências, famas, vantagens físicas ou algumas capacidades extras etc. Por outro lado, ela castiga por aparências feias, preconceitos da sociedade ou desvantagens físicas, mentais, falta de capacidades etc. Entretanto, leis de sociedade, não são muito justas, nem tão rigorosas, existem mil e uma maneiras de driblar e escapar.  

Leis de país são mais justos e mais rigorosos. Sociedade humana faz esforços para manter segurança e garantir ordens, fazem multas, prisões, penas, prêmios, condecorações etc. Mas só funciona no âmbito nacional e existem várias escapatórias.

Leis do universo funcionam no todo o universo, é mais rigorosa de todas, não há como escapar. Quem vive de acordo com as leis terá seguranças e prosperidades. Aquele que ir contra leis, encontra os eventos das infelicidades.

Por exemplo: existe “Código Nacional de Transito”, se observar e obedecer, você estará seguro. Se atravessar o sinal vermelho na avenida movimentada, poderia ser atropelado ou terá outros prejuízos. Quem deu este castigo? Foi você que produziu este evento, não observando a lei.

Se a pessoa não sabia da lei de trânsito? Também teria mesmos resultados. É assim que as leis funcionam, sabendo ou não.

Vice presidente da BSGI, Sr. Carlos Uno dizia, “Tem um copo de água mineral, límpida fresquinha, se colocar um pouquinho de cocô de nenê, você  poderia tomar?”  Não ! “mas, é de nenenzinho  e um pouquinho de nada, vai!” Não mesmo!  “Se você não soubesse disso, poderia tomar, não fazer mal e pode não acontecer nada. Mas, a partir do momento que você souber, não tomaria de jeito nenhum. Pois é... Quem avisa, amigo é kkkkk.”

No Gosho, “As barragens da fé “(Abutsubo Ama Goze Gohenji – páginas 1307 a 1308 Escrituras de Nitiren Daishonin, Vol. 3 – pg. 235 a 241. Consta, seguintes passagens. Aqueles que o caluniam caem no inferno de incessante sofrimento. Como o sutra afirma: “Aquele que se recusar a acreditar neste sutra e, ao invés disso, o calunia, imediatamente destrói às sementes para se tornar um Buda neste mundo... Após morrer, cairá no inferno de incessante sofrimento...

Há vários graus de calúnia. Mesmo entre as pessoas que abraçam o Sutra de Lótus, muito poucas o sustentam firmemente tanto na mente quanto na ação. Porém, aquelas que o fazem não sofrerão grave punição, ainda que tenham cometido ofensas menores contra o Budismo. A fé sólida delas expia seus pecados tão seguramente quanto uma enchente extingue pequenas chamas.

No Sutra Nirvana, Sakyamuni declara: “Se mesmo um bom sacerdote vê alguém caluniando a Lei e faz pouco caso dele, deixando de reprová-lo, de desalojá-lo ou de puni-lo pela sua ofensa, então, esse sacerdote está traindo o Budismo. Entretanto, se repreende severamente o caluniador, o rechaça e o pune, então, ele é meu discípulo e uma pessoa que realmente compreende os meus ensinos.”  Pela definição do Buda Original, não só aqueles que caluniam, os que tomam conhecimentos e não fazem nenhumas advertências, também são traidores.

Outras passagens do mesmo Gosho: “Suponha que haja um navio que viaje em mar aberto. Mesmo que a embarcação seja construída fortemente, se tiver a menor fenda, os passageiros certamente afundarão juntos. Mesmo que a barragem entre plantações de arroz seja firme‚ se houver apenas uma única e minúscula racha nela, a água jamais será contida. Deve tirar a água da dúvida e da calúnia do navio de sua vida e solidificar as barragens de sua fé.”

Portanto, mesmo que a calúnias pequenas, que pareçam inofensivos, deve evitar. Daqui a pouco poderia crescer e afundar o barco e arruinar as barragens.

Vamos ficar longe de todos os tipos de calúnias e advertir todo mundo, isto também luta de Kosen Rufu.

Abril de 2013.          Eiichi Sago.
 
 
Hoboo 2. (Calúnia 2)
E as fotos de estátua de budas, bodhissatvas, bonzos?
Sabem de quem são esses estátuas? São dos buda Amida, buda Dainiti, buda Yakushi, bodhissatvas, Kannon, Gekko, Senju, kongotyo. etc. Todos são budas, bodhissatvas das seitas heléticas que opuseram ao Nitiren Daishonin. Mesmo que é do buda Sakyamuni, por teoria de Gojuu no sootai(Comparação quíntuplas), nós não utilizamos.
Bonzos são de Honen, Koboo, Yoosai, etc. Todos são fundadores de seitas heléticas de Nenbutsu, Shingon, Zen. Etc. Você colocaria isso em sua casa?
Mesmo que diz que seja do Nitiren Daishonin, Buda original proibiu de usar qualquer tipo de imagens.
Mãe chama atenção de menino que quer: subir no alto, brincar com faca, brincar com fogo, sair correndo a rua atrás  de bola. Menino que não quer dar ouvido na advertência da mãe, sempre se dar mal...Não é melhor obedecer ?
Quando ler o Gosho, nem sempre compreendemos ao todo, mas, não é que nós não compreendemos que isso não existe. Você pode não compreender a Bomba Atómica, se ela estourar na tua cabeça, você morre. Então, seria bom entender que “Eu não compreendo, porque não cheguei ainda, vou estudar mais e um dia vou compreender.” Não é ?
Abril de 2013.          Eiichi Sago.






A morte.

O jornalista americano Dr. Norman Cousins disse: “A morte não é a maior tragédia que cai sobre nós. Mais trágico é uma importante parte de nós morrer enquanto ainda continuamos vivos. Não existe tragédia mais terrível. O que importa é conquistar algo na vida”. O Dr. Cousins foi um grande jornalista e ativista da paz. Em seus últimos anos, ele realizou um trabalho pioneiro no campo da medicina do corpo e da mente com base na convicção de que ambos são um só.            Texto de sra. Wlaisa Fior.

Janeiro de 2013.           Eiichi Sago.

x----------x----------x----------x----------x----------x----------x----------x----------x

Entendendo a morte.

No Budismo de Nitiren Daishonin, a morte é vista pela eternidade da vida. E se a prática for sincera e correta, então a morte, seja lá como aconteça, será a amenização do carma. Essa visão é muito interessante. Não é que nós budistas nos conformemos com a morte, mas é uma questão de entender a lei da eternidade da vida, que vai além do que se imagina.
O presidente Ikeda diz que o ser humano não pode evitar os sofrimentos da vida: nascimento, envelhecimento, doença e morte. Diz também que adoecer e conseguir se curar são benefícios menores, mas o maior deles é não se abalar diante dos desafios da vida. Este é o verdadeiro benefício, a verdadeira felicidade. Mesmo em questões de mortes consideradas trágicas, precoces... é um assunto que, se observado pelo ponto de vista do budismo, é interpretado profundamente como amenização do efeito cármico. O mestre diz que o maior mau carma que podemos ter são as calúnias que cometemos contra a Lei. Quando acontece algo trágico, um sofrimento tão intenso, mostra-nos que estamos no caminho correto da transformação do efeito cármico. Há um episódio tratado na NRH de um casal que perdeu os três filhos: um por doença e dois num incêndio. O fundamental foi o fato de esse casal, encorajado pelas palavras do presidente Ikeda, ter feito a decisão de que a tragédia não seria em vão, serviria para a transformação da família.
E isso é missão. A morte dessas crianças não se deu por acaso — embora trágica, mas imbuída da missão de causar uma grande transformação na família. No livro Diálogo sobre a Juventude, volume 3, o presidente Ikeda afirma que todos nascemos porque temos missão. Ele enfatiza a questão de que precisamos perceber qual é a nossa missão. Nesse sentido, pode parecer estranho a algumas pessoas, mas aquelas que entendem a morte também como missão, compreendem a relação entre a vida e a morte, a unicidade que existe entre elas.
Missão é iluminação. Enquanto acreditamos que a morte é trágica, que o outro se foi muito cedo, isso é ilusão, ou seja, escuridão fundamental. Não compreendemos que a vida é uma missão. Ao contrário, quando entendemos que aquela pessoa que faleceu tinha missão até aquele momento, então atingimos uma condição de iluminação. Quem fica está compreendendo a magnitude da vida do falecido. O sofrimento da perda começa a se dissipar. Descobrir que aquela vida não se encerrou precocemente, mas que cumpriu a missão, isso é enxergar de forma elevada. Voltando ao caso dos pais que perderam os três filhos... as crianças deram a vida para que os pais se levantassem e avançassem como líderes da organização e, mesmo em meio ao sofrimento, se tornassem grandes referências para outros companheiros que começavam a criar dúvida no coração diante da tragédia e em relação à veracidade do budismo.
Nitiren Daishonin diz que é infalível — se existe grande empenho em prol do Kossen-rufu, os três obstáculos e as quatro maldades vão se manifestar na vida das pessoas. Nessas circunstâncias é que se deve revelar exatamente o contrário, sobrepor as tragédias que acontecem e evidenciar o imenso poder de superar o sofrimento. Que o carma da morte se transforme em missão.
Isso não significa, porém, ser negligente com a própria vida. Ter a postura errônea e dizer: “Eu estou me empenhando em prol de outras pessoas. Se eu tiver de morrer, paciência”. Isso é se entregar. É permitir que a maldade se manifeste. Não podemos de modo algum deixar a negligência despertar todo o mau carma que possuímos, pois não sabemos da extensão dele. Amenizar o efeito cármico não se caracteriza apenas pela morte. Há outras maneiras em vida de transformar o carma e evitar a manifestação da maldade.
Não sabemos quando vamos morrer; o importante é nos preocuparmos em viver melhor. O presidente Ikeda comenta: “Mesmo sabendo que não vamos morrer nos próximos cinco minutos, todos nós, sem exceção, morreremos um dia. Podemos contar cem por cento com isso. Não existe nada mais certo. Victor Hugo disse certa vez: ‘Todos nós temos uma sentença de morte, mas com um tipo de adiamento indefinido’. O ideal é vivermos cada minuto da vida de forma útil como se fosse uma era. As pessoas que não têm objetivo na vida chegam ao final dela com a sensação de vazio, mas aquelas que vivem com plenitude e empenham-se corretamente até o fim terão uma morte tranquila”
Nitiren Daishonin diz que a morte nos ensina como viver. Embora as pessoas não queiram dialogar sobre o assunto, ao compreendê-lo aprende-se a viver melhor, a dar valor à vida.
Que sentido há em negar a existência da morte e não entendê-la? O presidente Ikeda diz que enfrentar as circunstâncias da morte dá significado à vida.
O mestre diz também que a bravura diante da morte propicia coragem às outras pessoas. Essa é a postura de uma pessoa vitoriosa, que teve forte fé, que lutou até o fim e que foi uma vencedora. E ele afirma que essa pessoa nascerá rapidamente com um corpo saudável.
Assim, a pessoa doente e próxima da morte consegue inspirar e despertar outras pessoas para a grandiosidade do budismo perante a morte. Esse é o verdadeiro modo de viver de um bodhisattva.
Para finalizar, o presidente Ikeda diz: “Uma vida sem morte poderia ser maravilhosa, mas significaria também que adiaríamos indefinidamente a solução das questões da vida. Provavelmente nunca faríamos nada e todos se tornariam decadentes e preguiçosos”.3 Acredito que seja muito importante termos essa compreensão da morte.
Notas
1. Os três obstáculos são: (1) desejos mundanos; (2) carma, que pode se manifestar na forma de oposição do marido ou dos filhos; e (3) retribuição, que também são obstáculos causados pelas pessoas às quais o praticante deve obediência, tais como governantes ou pais. As quatro maldades são causadas: (1) pelos cinco componentes; (2) pelos desejos mundanos; (3) pela morte inesperada, que impede a prática do budismo, ou pela morte de outro praticante, que provoca dúvidas; e (4) pelo Rei Demônio do Sexto Céu.
2. BS, edição nº 1.577, 28 de outubro de 2000, p. A3.
3. IKEDA, Daisaku. Diálogo sobre a Juventude — para os protagonistas do século XXI, v. 3, p. 153.
 
Texto de sra. Wlaisa Fior.      Janeiro de 2013.     Eiichi Sago.

x----------x----------x----------x----------x----------x----------x----------x----------x

*     

Nitiren Daishonin diz:

“Não há do que se lamentar quando consideramos que com certeza vamos nos tornar budas. Mesmo que uma mulher se tornasse esposa do imperador, que importância haveria nisso? Mesmo que alguém renascesse no paraíso, de que serviria isso?” (WND, pág. 657.)
Nenhuma dessas conquistas tem importância quando consideradas da ampla perspectiva do budismo. Nossa vida é eterna e continua após a morte. Ela se estende infinitamente à nossa frente pelo futuro. Da mesma forma, é de pouca importância o fato de vivermos em uma casa excelente ou se temos conforto neste breve período de tempo que passamos aqui neste planeta. Nossa próxima existência será definida por nosso estado de vida no momento da morte. Nesse ponto reside a importância da prática budista.

 

Texto da sra. Wlaisa Fior.          Janeiro de 2013.          Eiichi Sago.

 

x----------x----------x----------x----------x----------x----------x----------x----------x

 

 

A armadilha dos prazeres ilusórios.

Daishonin também escreveu:
“Há ocasiões em que nascemos como seres humanos e desfrutamos uma posição elevada, tal como o governante de uma nação, um ministro de alto escalão, um nobre da corte ou um lorde. Podemos nos congratular com isso, pensando não haver prazer maior e nos contentando com os pequenos benefícios recebidos. No entanto, o Buda ensina que essa prosperidade não passa de um sonho: é um prazer ilusório. Portanto, deve-se abraçar o Sutra de Lótus e atingir a iluminação rapidamente.” (Gosho Zenshu, pág. 386.)
De acordo com o budismo, podemos nascer como um animal ou até mesmo como uma árvore. Assim, já que tivemos a boa sorte de nascer como seres humanos nesta existência, é uma tolice nos perdermos em prazeres mundanos. Eles nada mais são que ilusão.
Tomemos o exemplo das pessoas que ficam totalmente apaixonadas, casam-se e pouco tempo depois começam a dizer que o casamento é uma sepultura!
Em contraste, todos os sofrimentos e dificuldades pelos quais passamos em nossa luta pelo Kossen-rufu serão transformados em alegrias milhares de vezes maiores que qualquer prazer mundano. E nos levarão também à felicidade eterna.
Tudo que temos a fazer é abraçar o Sutra de Lótus — acreditar na Lei Mística e recitar o Nam-myoho-rengue-kyo. Com isso, tornamo-nos entidades de suprema nobreza, com uma verdadeira visão da sociedade, da vida e do universo. Podemos atingir assim a verdadeira felicidade, o verdadeiro estado de Buda.

 

Texto de sra. Wlaisa Fior.     Janeiro de 2013.     Eiichi Sago.










Aprender é fazer.

Muitas pessoas pensam que aprender é tomar conhecimento, Entretanto conhecer é apenas entrada de aprendizado.

Se, sabe alguma coisa, mas, não sabe como fazer e não consegue fazer, não pode produzir qualquer valor na vida.

Então, a coisa mais importante em aprendizado, não é tomar conhecimento teoricamente, mas sim, através de praticar, treinar e exercitar, Tornar e ficar como experiente de produzir aquilo que você está aprendendo.

O professor Makiguti era excelente educador. Ele focalizou sempre importância de praticar e tornar um bom daquilo que está aprendendo. Sugeriu ao governo, um sistema escolar que funciona metade do dia para estudo na mesa e outra metade no campo da realidade, praticando, exercitando e trabalhando, aquilo que havia estudado na mesa.

Dou aula de língua japonesa e artes culinárias orientais. Os meus alunos que não aprendem não é porque ruim da cabeça ou não tem talento. Grande maioria das vezes, porque não exercitam, não treinam.

Então, os treinamentos que pretendo dar daqui em diante,( da língua, culinária, ou do Budismo), vou focalizar bastante nesse ponto de exercícios e treinos. Assim os resultados aparecem imediatamente os alunos vão produzir aprendendo, antes de formar e tornarem especialistas.

Janeiro de 2013.          Eiichi Sago.










O enterro dos “não consigos”.

 Todos os alunos estavam trabalhando na tarefa de fazer uma lista de não consigos. A professora foi percorrendo a sala e lendo alguns: "Não consigo fazer divisões longas com mais de três números". "Não consigo estudar números". "Não consigo estudar muito tempo". "Não consigo fazer dez flexões". Quando todos os alunos acabaram, a professora colocou todos os não consigos numa caixa, incluindo os seus, tampou-a e saiu, seguida pelos alunos, para o pátio do colégio. Escolheu um canto afastado e ali começou a cavar.  foi enterrar seus não consigos! Quando a escavação terminou, a caixa de não consigos  foi depositada no fundo e rapidamente coberta com terra. Todas as crianças de dez e onze anos permaneceram em torno da sepultura. A professora, então, falou:

 “Estamos hoje aqui reunidos para honrar a memória dos não consigos. Enquanto esteve conosco, empatou as nossas vidas e de muitas outras pessoas. Seu nome infelizmente foram mencionados em todos os lugares e agora providenciamos um local para o seu descanso final. Que os não consigos possa descansar em paz e que todos os presentes possam retomar suas vidas e ir em frente sem suas presenças.”

 Os alunos jamais esqueceram a lição. A atividade era simbólica: uma metáfora da vida. Os não consigos estavam enterrados para sempre. Logo após, a professora encaminhou os alunos de volta à sala e promoveu uma festa. Depois, como parte do ensinamento, pegou uma cartolina e escreveu as palavras não consigos no topo, "descanse em paz" no centro, e a data embaixo.

 Esta cartolina ficou exposta na sala de aula durante o resto do ano. Nas raras ocasiões em que um aluno esquecia e dizia "não consigo". A professora simplesmente apontava o cartaz "descanse em paz". O aluno então se lembrava que "não consigo" estava morto e reformulava a frase.

Um excelente final de semana a todos, e não se esqueça "nós já os enterramos.”

Agosto de 2012.          Eiichi Sago.

Autor - Roberto Rosa.  Gostei muito que levei emprestado. Julho de 2012. Eiichi Sago.












Energia vital. (Força para viver).

Uma jovem japonesa perguntou à mãe “ Por que a senhora não casou com francês ?”. “Se a senhora tivesse casada com francês, eu poderia nascer como uma mestiça, mais bonita ?! ”  Entretanto se isto acontecesse, ela não poderia existir ! ! !

Ser humano, grande maioria de nós não pensamos que nossas circunstâncias  e condicionamentos  são ótimos.

É natural que pensamos,  Locais de nascimentos, família em que nascermos, ambientes familiares, nossos aspectos e formas  físicas, capacidades e inteligências,  etc. Achamos  que se nós fossemos outras pessoas seriamos ótimos.

Mas, se continuarmos,  “A horta do vizinho é mais verde ...? “  Simplesmente sua vida não começa nunca !

A energia vital não é total de quantidade de energia que temos, mas sim, como entender e encarar a realidade. Energia vital (Força para viver) vem das nossas posturas e de atitude de como encarar.

Nós humanos para continuarmos  viver, em algum lugar e tempo, temos que chegar  na maturidade de aceitar as realidades como são. Se não, nunca poderíamos descobrir uma verdadeira força para viver.

Para ganhar a força vital de viver, antes de mais nada, não deve fugir das realidades.  Mesmo que difícil, que sofredora e feia, aceitar as realidades como elas são.

Se a moça fosse mestiça ou francesa, não poderia existir ela de agora. Mesmo que não goste e detestasse os condicionamentos e circunstâncias atuais, se mudasse isso, você de agora não pode existir mais.

Quanto mais que detestasse as realidades, que elas são longe dos ideais,  você tem que aceitar essas realidades.

Somente assim, sua vida de verdade pode começar com força e esperança.

Junho de 2012.     Eiichi Sago.

 
Retribuição aos favores recebidos. Espírito de gratidão.









Estamos praticando maravilhosa lei fundamental do universo, graças ao gohonzon.  Só isso?

Nitiren Daishonin disse que no “Retribuição aos favores recebidos”,  tem mais. 1º é dos pais, 2º é dos mestres, 3º é dos três tesouros, 4º é dos reis dos países.

No “4 favores recebidos” consta: 1º favores da toda sociedade dos humanos, 2º favores dos pais, 3º favores dos reis, 4º favores dos três tesouros. Você vê que os dois Goshos têm ligeira diferença.

De fato, desde que nascemos nessa vida, sem estes favores, nós não tínhamos condições de sobreviver.

Os pais da gente cuidaram de tudo quando éramos pequenos, As professoras e tias das escolas primárias  nos ensinaram ler, escrever e fazer continhas. Também, de brincar, de nadar e de andar de bicicleta.

Depois, os vários professores nós ensinaram variadas matérias escolares e até monte de outras coisas. Alguns de nós aprendemos mexer computador  e falar línguas estrangeiras. Tudo isso graças as esforços de alguém que nós ensinaram algumas coisas.

Basicamente, se nós não tivéssemos um dos maiores favores recebidos do apresentador para o budismo, como seria das nossas vidas? E aqueles que nós orientaram, incentivaram, e encaminharam. São inúmeros favores recebidos que nos fizeram nós de hoje, não foram?  

Reconhecer os favores recebidos é a primeira virtude que nós budistas devemos aprender dentro do budismo.

Arrogâncias começam quando acharmos que somos auto-suficiêntes. Se Pensamos que não precisamos ajudas de ninguém que a gente é bom de mais.

Mas quando observamos cuidadosamente, descobrimos que só até aqui quantas pessoas nos ajudaram?

 

Com isso, nós evitarmos  de ser arrogantes  que achamos que foi se criados sozinhos.  Assim não começamos iniciar quaisquer desvios.

Então, ter espírito de gratidão  e reconhecer os favores recebidos, é fundamental para  você não cair na arrogância  e desviar o seu caminho do budismo.  Concordam? 

Fevereiro de 2013.          Eiichi Sago.

 

 
 
 
Shijuu gojuu wa hanatare kozou.

No Japão, dizem que “40, 50 anos são moleques de nariz escorrendo”. Significa que verdadeira vida começa após 60 anos.  Ao analisar as coisas mais importantes na vida, temos que ver como está vivendo nesta idade.

Sensei define que “a época de acabamento da vida.” Portanto, Não e permitido errar, nem pode voltar atrás. É uma época de comprovação final de uma vida inteira. Época de adquirir e mostrar as qualidades que antes não tinha, e agora está concretizadas.

Quando viveu mais de meio século, é natural que muitas coisas mudam. Não tem mais vivacidade física e mental de quando era jovem, pode estar com algumas doenças manifestando, pode estar com os problemas ainda não resolvidos. Entretanto, devemos revelar novos brilhos da vida, como sabedoria, convicção, serenidade, maneira de falar, comportamento, etc.

Temos o mais importante trabalho daqui para frente. Sensei disse: “Alegria de viver, Alegria de morrer.”  É isso... Mesmo tempo que luta p/ conseguir construir uma organização ideal, comprovar que aprendemos viver realmente felizes!

Nas últimas orientações que chega aqui Sensei está dizendo: “ Pra os jovens e veteranos desafiem construir novo eu. Renovando com Daimoku de Seigan”. Então não pode bancar aposentado meio morto, vamos renovar nossos ânimos, Vamos construir esse novo eu, junto com os jovens.              

 

Maio / 2012...  Fevereiro de 2013.            Eiichi Sago.

 













Sensei no Rio de Janeiro em 1993. CCRJ.

Nitiren Daishonin diz: "Se a pessoa se torna versada no Sutra de Lótus, naturamente compreenderá o significado das leis da sociedade". Em outras palavras, aqueles que abraçam o Gohonzon devem se capazes de melhorar sua vida ou mesmo fazer seus negócios prosperarem.
Sem entender esse princípio e sem se esforçar em busca de caminhos e soluções, quando seus negócios não vão bem, as pessoas começam a pensar que isso ocorre devido à falta de benefícios do Gohonzon, e por meio de seus fracasso, faz que as pessoas da sociedade pensem da mesma forma. Isso equivale à calúnia ao Gohonzon.
Os senhores devem atentar para o seguinte ponto e entender que interpretar as palavras de Nitiren Daishonin, quando ele diz "compreenderá o significado das leis da sociedade" como "sem esforço, infalivelmente receberá os benefícios do Gohonzon" é um erro muito grave, um absurdo.
Se o membro tem apenas um ou dois anos de prática, ainda pode ser compreensível, mas aqueles que tem três ou quatro anos de prática e ainda não conseguiram fazer prosperar os seus negócios nem chegaram a perceber a causa do fracasso, devem refletir profundamente.
Dessa forma, é necessário um contínuo esforço e constante pesquisa no ramo de seus negócios.
O presidente Toda dizia: "Meu desejo é que vocês se desenvolvam o mais rápido possível e descubram, dentro dos seus campos de atuação, o significado das leis da sociedade e que consigam ter uma vida realmente estável e tranquila. Este não é somente meu desejo, mas tenho a convicção de que se trata também do profundo desejo do Gohonzon.
(Trecho da orientação proferida na Conferência dos Representantes da BSGI do Rio de Janeiro, no dia 10 de fevereiro de 1993)

Por Sra. Joice Tavares.

 

Fevereiro de 2013.     Eiichi Sago.


Dirigente ruim?...  Como faz?...










Querem saber?... Prossigam leitura:
Após cumprir sua tarefa de estabelecer o Nam Myoho Rengue Kyo e inscrição do Gohonzon,  O buda original Nitiren Daishonin ordenou realizar o Kosen-Rufu aos discípulos. Makiguti sensei percebeu este objetivo fundamental do Legítimo Buda da era do Mappo, Levantou à realização de Kosen-Rufu do Kegui. Toda sensei herdou este espírito, organizou os budistas e ensinou várias estratégias. Finalmente, o nosso Ikeda sensei está comandando o Kosen- Rufu mundial. Estes nossos mestres fabulosos cumpriram dignamente suas missões.
Daqui para frente seriam nossas vezes.
Nas épocas anteriores os sansho shimas tinham endereços definidos, Daibadatta, Honen, Kobo, Hei no Saemon, Ryokan, Governo militarista do Japão, etc. Entretanto, para evitar os sucessivos ataques da Soka Gakkai, eles fugiram... Aonde?... Cadê?... 
Alguns deles resolveram ficar na organização, disfarçados de dirigentes, dirigentes ruins, claro. Eles causam enormes prejuízos nos membros e na organização.
Nitiren Daishonin disse, ”Se o senhor deseja atingir o estado de buda sem atacar os caluniadores, ficará como procurar água dentro do fogo, fogo dentro da água, quanta bobagem!”  (Gosho, pag.1055. Resposta ao lorde Soya). Toda sensei disse, “Não afrouxem as mãos de perseguições às maldades!”
Portanto, temos que lutar com eles, sem trégua, até acabar com todos eles.
Entretanto, esta situação irão  continuar para sempre em qualquer lugar. Temos que aprender conviver com eles, sem deixar que eles atrapalharem nossa luta. Para isso, aplicar o princípio de “Hendoku Iyaku” seria ótimo.
Todos adversários tem função de fazer a gente ficar mais forte. Obstáculos e maldades na verdade,  são maiores aliados.
Lutem de todas as maneiras para apontar, criticar, desafiar, expulsar, exonerar. Estas providências e estratégias servem para te fortalecerem.  Mesmo que você não consiga eliminar este mal.
Ah ! ia me esquecendo: Quando você começa atacar os vermes na barriga do leão, eles(os vermes), inventaram argumentos que disse “ Você não pode quebrar a união de Itai Doshin”  ???  Ora, Itai Doshin se faz com os aliados do Buda, não com os empregadinhos dos Sansho Shimas, vermes. Ataque, Aperte, Exonere, e Expulse ! Para não voltar Nunca mais !!!
Enquanto que esta luta continuar, você recebe os benefícios e sua organização cresce e progride.  Então, Viva sansho shima também!
Desembro de 2012.          Eiichi Sago.

 

Pensamento = origem de tudo.

 
Nossas expressões, pelas palavras, pelos gestos, comportamentos ou atitudes, tudo começa dos nossos pensamentos. Onde ninguém está, ninguém vê, nem ouve, o pensamento começa nascer. Daí cresce e aparece como nossas expressões, como aspecto, falando, fazendo gestos, definindo nossos comportamentos, e até construindo nossas características.
Produzem as causas de tudo que acontece ao nosso redor, daí, vêm os efeitos. Esses efeitos podem ser os motivos de outros pensamentos e começa o círculo de tudo isso.
Então, quando você quer mudar alguma coisa da sua vida, circunstâncias, sortes, tem que mudar os pensamentos. É justamente aí que está o maior motivo de nós praticarmos o Budismo. Fazemos orações diárias justamente para isso.
Objetivo maior não é pedir isso ou aquilo, é mudar os nossos pensamentos. Fazer com que eles sejam mais esclarecidos, robustos e com energia vital.  Porque sem isso, você não vai conseguir mudar nada na sua vida.
Não estou falando isso teoricamente, desde 2012, tenho contatos mais chegados com várias pessoas, entre eles, têm casos que comprovam mudanças rápidas surpreendentes. Todos começaram pelas mudanças dos pensamentos.
É preciso esclarecer-nos. É preciso re-educar-nos. Temos que trocar os maus pensamentos pelos pensamentos bons, esclarecidos, educados, baseados no Budismo... Daí nossa revolução humana começa...
Queremos mudar a família, uma comunidade, um país, fazemos orações diárias justamente para isso.
Mundo? O processo é o mesmo. Nitiren Daishonin disse no Rissho Ankoku Ron, trazendo as frases do Sutra Ninno: “Quando a nação fica em desordem, os maus espíritos (maus pensamentos) são os primeiros a mostrarem sinais de exuberância. Como esses espíritos tornam-se abundantes, todo o povo da nação fica desordem.”.
Pois é... A luta do Kossen-rufu e Chakubuku significa trabalho de esclarecer as mentes de si e dos outros. Então, vamos esclarecer, educar, mudar os pensamentos, vamos desfrutar muito, os resultados de tudo isso que é felicidade e prosperidade de si e do mundo! ! !
Autor. Eiichi Sago.   22/04/2012.
 
 
 
 
 
Como Morrer... ? (Projeto Funeral.)
Não digam que não gostam deste assunto.
Nitiren Daishonin disse: “Ninguém pode  fugir à morte, uma vez nascido como ser humano; então, por que não praticar como preparação para á próxima vida ?” (Carta à Niike) vol. 2 do gosho amarelo.
Metade do objetivo de prática budista é a preparação para próxima existência. Então vamos pensar um pouco?
No Japão, estão aumentando as pessoas que preparam à hora da morte.
Compram túmulos e caixões, deixaram testamentos, contratar funerárias, e fazem até planejamento de cerimônias. Porque não querem incomodar para quem fica e deixam tudo pago e sem surpresa e nem tumulto.
Nós budistas, aprendemos sobre os mistérios de vida, tempo todo. Temos que pensar mais sério no assunto não é?
Quando eu era líder do Rio de Janeiro, fui a todos as cerimônias funerais. Como morriam gentes. Às vezes, deixava o trabalho, família e tudo para atrás. Consolando familiares e as pessoas ficavam mais tranquilas e conformadas.  Eram  uma das minhas missões daquela época.
Agora, os tempos passaram, e está chegando a hora de me preparar também para esta hora... Daí eu faço um projeto para minha morte e preparativos de funeral e etc.
Não vou morrer de doenças ou de desastres, porque sofre e assustam as pessoas. Dizem que é bom, ficar uma semana em cama para preparar as pessoas e agradecer aos que me cuidaram. e morre sem sofrer é o ideal.  Vou fazer isso.
Não quero tristeza nem choradeira, vamos fazer uma festa, para  uma nova partida para uma vida melhor. Vai ter comes e bebes, também cantos e danças, porque não ? Já estou escolhendo as músicas.
E, venho voltar sem demora pertinho de vocês, com condição de vida melhorada.  Falecido mestre, Toda Sensei dizia que na próxima vez vem como princesa e lutar para Kosen-Rufu. Eu acredito muito disso.
Também não quero túmulo, gaveta, ou coisa parecida, Aprendemos que a vida após a morte esteja dissolvida no universo, então, em vez de visitar o túmulo, façam daimoku em casa que vai me ajudar muito mais.
Vou morrer no fim de semana, para não atrapalhar rotina de vida de ninguém, minha cerimônia é no sábado, domingo ou feriado. Se alguém não vier, vou achar ruim, tá? (brincadeira, hehehe).
Todo caso, quanto mais pensa na morte, a importância da vida é aumentada.
Sensei disse: ”Alegria de viver e alegria de morrer.” Vamos viver dando importância à cada instante e quando chegar a hora, vamos concluir dìgnamente  a estada desta existência.
Fevereiro de 2013.          Eiichi Sago.















Prática dos filhos e netos.

 

Tem um ditado japones assim  “hokke sandai” quer dizer “Somente quando seus netos tornem verdadeiros budistas praticantes e lutador de Kosen-Rufu, comprova a dignidade da sua prática(dos avôs).”

Sensei elogia que. No Brasil tem muitos fukushis,  que continuaram intenções dos seus pais sendo budistas, durante 2, 3, e 4 gerações.  Em termo de comparação com outros países, sim.

Mas, verificando mais um pouco, em muitas famílias não tiveram continuidades de prática budista. Às vezes nas famílias de dirigentes, veteranos e líderes. Por que?

Talvez, não fizeram forte oração, não lutaram suficientes para isso, ou tiveram outros problemas prioritários na família?  Sejam como forem, são uns desperdícios enormes. Porque, tempo todo estavam correndo atrás dos filhos dos outros para que eles praticarem corretas, e na sua vez, não conseguiram?

Fazer filhos iniciarem praticar, parece que há tempo certo. Desde quando eles ainda são pequenos, os pais devem falar de respeitar o gohonzon, Relação com sensei, para que das atividades, etc. Quando chegarem 5 anos, seria inicio da prática de gongyo todo dia, Não há necessidade de eles saibam ler. Os pais acompanham carinhosamente conduzir para serem budistas firmes e fortes.

 Talvez, não conscientizaram a importância da questão desde início? No ponto de vista do futuro do kosen-Rufu do Brasil, seria muito importante transmitirem forte fé às suas gerações futuras.

Se não, amanhã ou depois, tem de experimentar gosto amargo de participar no casamento dos seus filhos na igreja.

 E depois, como é que você vai passar para outro lado com tranquilidades no coração?   

 Maio de 2012.             Eiichi Sago.

 

















Forçar à barra?

Nós, mortais comuns, queremos viver de acordo com as nossas vontades . Pensando, falando e fazendo o que deu na cabeça, sem ser obrigados a fazer nada do que nós não gostamos.

Entretanto, tempo em tempo, ou de vez em sempre, a vida nos obriga enfrentar uma barra. Somos obrigados a fazer uma porção de coisas que não gostamos, por que?  as vezes a questão é a vida ou a morte!

Vamos pensar juntos? É o tal de “Se correr bicho pega, se ficar bicho come.”

E agora... Não pode fugir, aí a coisa fica mais feia ainda, se desesperar não adianta nada, ficar com medo, o problema cresce mais... Estamos no beco sem saída. O que você poderia fazer?  

Jeito é enfrentar encarando, mesmo que detestasse de fazer isto, não acham não? Se tiver outro jeito me avisa, porque, faz tempo que eu estou procurando também.

Já que vamos ter que fazer, faremos bem feito! Pensando, planejando, com concentração e dedicação.  Faremos tão bem que até possamos assinar nossos nomes em baixo.

Feito assim, quando as tempestades passarem, passa? Passa com certeza. Vocês verão que não só superaram aqueles problemas, vocês descobrirão  que abriram  outros horizontes nas suas vidas.

Pois é. Nossas vidas são engraçadas não? O que a gente pensamos que são crises, eram grandes oportunidades!

Então, vale a pena?  Oh, se vale,  Vale Muito !!!

Dezembro de 2012.          Eiichi sago.

 

 

















Aprender ???

Alguns alunos aprendem as matérias, passam nos testes e avançam nos níveis e graus. Já outros nem tanto, não passam nos testes, marcando os passos nos mesmos níveis e graus.  Por que?

Estão nas mesmas escolas, mesmas idades, mesmas matérias, mesmos professores... ???

O que é que são diferentes? Desconfio que seriam gostar ou não das matérias?  Gostar ou não dos estudos? Também pode ser com os relacionamentos com os professores?

 Culpar os professores, escolas ou ministério de educação, não adiantaria nada. A palavra chave é a motivação dos alunos, vamos analisar cuidadosamente os nossos lados e descobrir o que poderia ser maior motivação para os alunos.

Acima de tudo seria forte interesse e firme determinação dos pais, nos casos de alunos crianças. Aí surgem sabedorias e vocês teriam ideias suficientes de resolver estas incógnitas. Nos casos de adultos, é falta de imaginação !    

Uma das maiores vantagens que ser humano possui é a grande  capacidade de aprendizados. Nascermos sem saber quase nada, medida que crescemos  reconhecemos as coisas do redor, aprende a expressar desejos e sentimentos, usar seu corpo, usar ferramentas, conseguir obter objetos que interessa, falar, ler e escrever, andar de bicicleta, nadar, aprender as línguas estrangeiras, computador, sobreviver nesse mundo... e  por aí a fora. Temos variadíssimas escolas e cursos que ensinam tudo quanto são coisas.

Entretanto a coisa mais importante na vida que nós não aprendemos é de viver feliz. Porque, não sabemos que podemos aprender, não tem quem ensina, nem quem aprendeu o método nem caminho, não há nenhuma escola que ensina isso.

Quando você souber que ser feliz é uma coisa que pode aprender, você vai ficar indiferente? Só se for um débil mental. Tem pedra no seu sapato, incomodando tempo todo, você não vai tirar? Você pode,  Uêh!

Ser feliz e viver feliz  neste mundo, é algo que qualquer ser humano podem aprender perfeitamente, desde que tem desejo de aprender e faça esforço contínuo para isso.  Existe quem aprendeu, quem pode ensinar e até escola para isso.

Você deve seguir as lições que aprenderam nas salas de aulas, orientações dos professores direitinhos. Em qualquer  aprendizados, tem os alunos que seguem corretamente e os que não seguem, quais são os alunos que recebem diplomas?

No budismo usa metáfora que viver a vida é como atravessar o mar em nado. Primeiro você tem que aprender nadar e preparar o fôlego.  No mar tem ondas e ventos, mas, quando iniciar a travessia não pode desistir no meio, quem preparou bem, resiste, quem não desistiu consegue.

Você que já aprendeu monte de coisas da vida, mas, ainda falta o principal, e essencial, o mais importante. Viver feliz !

Então, o que você está esperando???           Agosto de 2012.     Eiichi Sago.

 

 


















VIVER COMO AS FLORES.
Mestre, como faço para não me aborrecer?

Algumas pessoas falam demais, outras são ignorantes, algumas são indiferentes. Sinto ódio das que são mentirosas. Sofro com as que caluniam.

Pois viva como as flores!  Advertiu o mestre.

Como é viver como as flores?  Perguntou o discípulo.

Repare nestas flores, continuou o mestre, apontando os lírios que cresciam no jardim. Elas nascem na terra adubada com esterco, entretanto, são puras e perfumadas. Extraem do adubo mal cheiroso tudo que lhes é útil e saudável, mas não permitem que o azedume da terra manche a brancura de suas pétalas.
É justo angustiar-se com as próprias culpas, mas não é sábio permitir que os vícios dos outros o importunem.
Os defeitos deles são deles e não seus.
Se não são seus, não há razão para aborrecimento.
Exercite, pois, a virtude de rejeitar todo mal que vem de fora.
ISSO É VIVER COMO AS FLORES!

Texto de sra. Wlaisa Fior.     Janeiro de 2013.          Eiichi Sago.

 
 
Gosho, Resposta a Shijo Kingo.

"Praticar simplesmente os sete caracteres do Nam-myoho-rengue-kyo pode parecer limitado, mas como esta Lei é a mestra de todos os budas do passado, presente e futuro, a mestra de todos os bodhisattvas do universo, e o guia que possibilita a todos atingirem o estado de Buda, sua prática é imensuravelmente profunda."

(Resposta a Shijo Kingo, END, vol. I, págs. 268-269.)

Janeiro de 2013.          Eiichi Sago.
















Ganpon no Mumyo. (Escuridão Fundamental)

 Para quem quer lutar no KosenRufu e atingir a iluminação, aparecem montão de Sansho Shimas de variados tipos. De onde é que eles vêm ?
De Ganpon no Mumyo,(escuridão fundamental), celeiro de todas as infelicidades, que você guarda na profundeza da sua vida.

Então enquanto você não derruba este origem dos problemas, eles não vão parar de vir, como?
Fazer revolução humana, você transformar você mesmo, superar suas fraquezas e tornar mais robusto.

Advertência de Nitiren Daishonin.
"O que obscurece sua iluminação é a escuridão fundamental.

Então, a luta que você deve travar com unhas e dentes é contra a negatividade original que ronda sua mente e suga sua energia.

Quem vence a escuridão da mente, vence tudo!"

“Mesmo para bodhissatva do nível superior, grande demônio chamado escuridão fundamental obstrui o benefício do último degrau do sutra de lótus, muito mais aos mortais inferiores.“       Carta aos Irmãos.

Janeiro de 2013.          Eiichi Sago.


















 

Pensamento = origem de tudo.


 

Nossas expressões, pelas palavras, pelos gestos, comportamentos ou atitudes, tudo começa dos nossos pensamentos. Onde ninguém está, ninguém vê, nem ouve, o pensamento começa nascer. Daí cresce e aparece como nossas expressões, como aspecto, falando, fazendo gestos, definindo nossos comportamentos, e até construindo nossas características.

Produzem as causas de tudo que acontece ao nosso redor, daí, vêm os efeitos. Esses efeitos podem ser os motivos de outros pensamentos e começa o círculo de tudo isso.

Então, quando você quer mudar alguma coisa da sua vida, circunstâncias, sortes, tem que mudar os pensamentos. É justamente aí que está o maior motivo de nós praticarmos o Budismo. Fazemos orações diárias justamente para isso.

Objetivo maior não é pedir isso ou aquilo, é mudar os nossos pensamentos. Fazer com que eles sejam mais esclarecidos, robustos e com energia vital.  Porque sem isso, você não vai conseguir mudar nada na sua vida.

É preciso esclarecer-nos. É preciso educar-nos. Temos que trocar os maus pensamentos pelos pensamentos bons, esclarecidos, educados... Daí nossa revolução humana começa...

Querem mudar uma comunidade, um país, fazemos orações diárias justamente para isso.

Mundo? O processo é o mesmo. Nitiren Daishonin disse no Rissho Ankoku Ron, trazendo as frases do Sutra Ninno: “Quando a nação fica em desordem, os maus espíritos (maus pensamentos) são os primeiros a mostrarem sinais de exuberância. Como esses espíritos tornam-se abundantes, todo o povo da nação fica desordem.”.

Pois é... A luta do Kossen-rufu e Chakubuku significa trabalho de esclarecer as mentes de si e dos outros. Então, vamos esclarecer, educar, mudar os pensamentos, vamos desfrutar muitos os resultados de tudo isso que é felicidade e prosperidade de si e do mundo! ! !

Autor. Eiichi Sago.   22/04/2012.

 

 






















Superstição.

 

Todos os países e idiomas tem superstição, Horóscopos, numerologias etc. Estamos cercados delas. Algumas são positivos  e outras são negativos. Tem muita gente que acreditam e perdem tempo à toa.

Numero 4 em japonês é “shi”, este som “shi” na língua deles significa “morte” tem gente que não gosta, então diga “yon”, escapou da “morte”.

Número 9 em japonês é “ku”, este som “ku” na língua deles significa “sofrimento”. Tem gente que  quer evitar, então diga “kyuu”, escapou do “sofrimento”. Em nossa língua é “cú”, significa em baixo, último, fim. Não tem como evitar, diga “evacuar da saída”, jogar fora coisas que não precisam mais.

Número 8 em japonês é “Hati”, escreve com ideograma de / \. Significa “abrir”, então, seria coisas boas, “abrir portas, abrir boas sortes etc.” Quando as coisas vão p/ baixo, também,  não desanimem, “abrir para baixo”. Baixo é o caminho de bodihsattvas da terra, Eles veem te ajudarem, quem sabe?

Deixando e driblando superstição de lado, Temos que abrir nossas boas sortes com nossas mãos e pés!

Setembro de 2012.     Eiichi Sago.























Sobre a morte.
 
Nitiren Daishonin disse na Carta a Niike, “Ninguém pode fugir à morte, uma vez nascido como ser humano; então, por que não praticar como preparação para a próxima vida? ”
Na Carta de Sado, “Se os animais tem medo de serem mortos,  não é de se admirar que o homem tenha medo de morrer. Se um leproso acalenta sua vida, é natural que um homem saudável lute para viver.
A vida é o tesouro mais precioso para qualquer um. Quando perde um ente querido, a tristeza que a gente sente é uma coisa muito enorme.
A gente perde o chão, perde todo motivo de continuar na vida, nunca poderíamos conformar.
Entretanto, o ensinamento do verdadeiro budismo, disse que nas nossas vidas já houve muitas mortes de nossas vidas anteriores. Então vai ter outra?  Sim, vai ter outra, outras e outras....
Isto é facilmente comprovado pelas diferenças das nossas vidas!  Nós somos diferentes de: quando e onde nascermos, em que família nascermos, diferentes países, raças, gênios, boa ou má sorte que trouxemos e etc. etc... Ninguém é igual, cada um de nós somos únicos no universo!  Por que ???
Porque, baseado na lei de causa e efeito, Tudo que nós pensamos, falamos, fizemos no passado é que causaram todas estas diferenças.
Portanto, os falecidos  vão ter outras vidas, principalmente perto dos familiares. Isto não é reencarnação. É continuação da vida.
Também, os falecidos de familiares budistas levam vantagens: Quando os familiares intensificam as práticas, vai acontecer nas vidas dos falecidos frutos de boa sorte inesperados. Como se tivesse caiu do céu! Não é maravilhoso? Esta visão sobre vida e morte, só no budismo de Nitiren Daishonin.
Os familiares e os falecidos tiveram relacionamentos íntimos, portanto a prática dos familiares refrete imediatamente na vida(aparente ou latente) dos falecidos. Mas, eles não poderão praticar o budismo. Portanto as praticas dos familiares são muito importantes. Doravante, não pode esquecer que você está praticando também boa sorte dos falecidos.
E um dia...  você pode reencontrar com os falecidos, com aspectos e formas de muito mais felizes do que antes.                                              
Agosto de 2012.      Eiichi Sago.
 
   

























A Felicidade neste mundo
GOSHO - (Shingo Kingo Dono Gohenji - Páginas 1143)

Não há maior felicidade para os seres humanos, que orar o Nam-myoho-rengue-kyo.
O sutra diz: "As pessoas lá (em minha terra) são felizes e tranqüilas. "Felizes e Tranqüilas" indica a alegria da Lei. Obviamente, você está incluído entre as "pessoas". "Lá" significa o mundo inteiro, o que inclui o Japão. "Felizes e tranqüilas significa saber que nossa vida - nosso corpo e mente, nós e nosso ambiente - e a entidade de Itinen Sanzen, e o Buda da liberdade absoluta. Não há maior felicidade que ter fé no Sutra de Lótus. Este nos promete "paz e segurança nesta vida e boas circunstância na próxima". Jamais permita que os impasses da vida o perturbem. Afinal, ninguém pode escapar dos problemas, nem mesmo santos ou sábios.
Apenas ore Nam-myoho-rengue-kyo e quando beber sakê, permaneça em casa com a sua esposa. Sofra o que tiver que sofrer. Desfrute o que existe para ser desfrutado. Considere tanto o sofrimentos como a alegria como fatos da vida, e continue orando o Nam-myoho-rengue-kyo, não obstante o que aconteça. Então, experimentará a infinita alegria da Lei. Fortaleça a sua fé mais do que nunca.
Com meu profundo respeito,NitirenEm 27 de junho de 1276(Fonte: END, vol III, páginas 199)
Fundo de Cena
Nitiren Daishonin escreveu o presente Gosho, quando encontra-se em Minobu no verão de 1276. O endereçado, Shijo King, foi um samurai e médico que serviu a família Ema, uma ramificação do clã governante, Hojo. Na época, Shijo Kingo enfrentava o período mais solitário e perigoso de toda sua vida. Dois anos antes, ele havia tentado persuadir corajosamente o seu lorde, Ema Mitsutoki, a abraçar o ensino de Nitiren Daishonin.
O lorde Ema era um defensor do bonzo Riokan, que odiava Nitiren. Por essa razão, ele reagiu com extremo descontentamento às advertências do seu vassalo. Os aprendizes de samurai de Shijo Kingo, invejando sua habilidade e a confiança que o lorde sempre havia depositado nele, aproveitaram a oportunidade para relatar informações falsas e maldosas sobre ele, ao Lorde Ema. Em consequência disso, o Shijo Kingo perdeu a proteção do seu lorde. A situação piorou seriamente nos anos seguintes. Colegas rancorosos espreitavam uma ocasião para assassinar Shijo Kingo e, à certa altura, o Lorde Ema exigiu que ele escrevesse um juramento renuciando à sua fé, ou teria seus bens confiscados. Entretanto, graças aos incentivos contínuos de Nitiren Daishonin além da sua própria impertubável fé, Kingo conseguiu resistir a essas provações com sucesso, e finalmente, recuperar a confiança do Lorde Ema que, em 1278, concedeu-lhe um feudo três vezes maior que o que ele possuía anteriormente.
A felicidade neste mundo é uma das várias cartas que Nitiren Daishonin escreveu a Shijo Kingo para amparar sua decisão durante esse período crítico. Embora extremamente breve, representa uma afirmação comovente e atemporal de o que vem a ser realmente a felicidade e como atingí-la. Transmite também, em palavras simples e com profundo humanismo, o benefício de orar Nam-myoho-rengue-kyo, e como um budista deve conduzir os assuntos comuns de sua vida.                Texto de sra. Wlaisa Fior.

Janeiro de 2013.          Eiichi Sago.

























A professora.

 

Dizem que "Vida é a melhor professora".

Sim, ela está tentando ensinar tempo todo pelo que acontece no seu redor.

Entretanto, ensinar é uma coisa, aprender é outra.

Acontece que se a gente não prestar atenção, não vejo, não ouço, não percebo nada. Por isso que tem gente que sofre muito e não aprende nada.

Esta gente não somos nós? Então, pelo menos quando a gente apanha, vamos prestar atenção.

As origens podem ser de qualquer lugar, Sansho Shima, manifestação de carma, ou besteira que acabei de fazer, tanto faz. Se a gente prestasse atenção na vida, tem muitos ensinamentos importantes, a toda hora.

Altos e baixos são naturezas das nossas vidas.Entretanto, quando você está lutando ao Kosen-Rufu, uma simples probleminha começa a ter caráter de Sansho Shima. Sim, atrapalhar o nosso caminho de luta para o Kosen-Rufu. Temos que perceber e tomar consciência disso.

É mesma coisa que, se você descobre que o cara é estelionatário, ele não pode fazer mais estragos.

 

Dezembro de 2012.           Eiichi Sago.

 

 
 
 
Confúcio.

 

Sra. Wlaisa Fior, minha amiga, achou uma frase do Confúcio,  “Os homens perdem a saúde para juntar dinheiro, e depois perdem o dinheiro para a recuperar.Por pensarem ansiosamente no futuro,  vivem como se nunca fossem morrer, e morrem como se não tivessem vivido...”

Eu me identifico perfeitamente a visão da sra. Wlaisa  de achar esta frase magnífica e a ideia do sr. Confúcio... Que profundo!

Por aqui percebo que devemos aprimorar e aprofundar nosso espírito e comportamento perante a vida para poder viver feliz.

Hoje, achei uma placa de objetivo que escrevi nos anos 80. Ai estava minhas orações daquelas épocas. Disse assim:

·        Vitória contra maldades.

·        Felicidade dos membros.

·        Expanção do Kosen-Rufu do Rio de Janeiro.

·        Prosperidade no trabalho.

·        Direcionamento de vida dos filhos.

Olhando agora, os objetivos que foram difíceis de alcançar na época, quase tudo já estão realizados. Que maravilha!  Realmente “Não há oração sem resposta” é a pura realidade.

1º ítem. - Vitória contra maldade. Apesar de que esta luta é para vida inteira, Estamos vencendo não?

2º ítem. – Felicidade dos membros. Muitos e muitos membros estão recebendo os benefícios e estão felizes. Não acham?

3º ítem. – Espanção do Kosen-Rufu do Rio de Janeiro. Está vento em popa não?

4º ítem. – Prosperidade no trabalho. Estou tendo e muito.

5º ítem. – Direcionamento de vida dos filhos. Todos os filhos estão muito bem encaminhados.

Tudo isso, foram graças à orientação do Sensei e da Soka gakkai e por grandioso poder do Gohonzon. Não há palavra para agradecer.

Além dísso tudo, não houve nenhuma doenças nem incidentes na toda a família, e morando na casa própria da família e estamos vivendo plena felicidade de cada momentos.

Agora, Vamos dedicar ainda mais a luta do Kosen-Rufu do Rio de Janeiro.

 

Agosto de 2012.      Eiichi Sago.

 

 
























Orientação do Sensei.

O que mais importante agora é orar. Diz no Gosho, “Não há estratégia melhor que Sútra de lótus”.

Ore até mudar de fisionomia. Recitar o Daimoku, seriamente do fundo da sua vida, senão, não vai sobrar nada. Se não derrubar as maldades, mesmo que faça os esforços tudo fica em vão.

Em todo caso, faça uma hora por dia sem falta, dentro da sua luta.

Faça Daimoku, antes das atividades, faça Daimoku, antes da orientação e quando chegar em casa, faça Daimoku outra vez.

Assim, não há como não mudar a sua vida. Você já deveria estar sabendo em primeiro lugar. Fora disso não existe luta. Somente quem venceu que conquista as convicções, alegrias e beneficios.

Janeiro de 2013.          Eiichi Sago.



























Queridos Amigos,


Jamais esqueço o valor que vocês têm na minha vida.

 

 Um 2013 especial... para pessoas especiais!!

 

Você nasce sem pedir e morre sem querer...
Por isso, aproveite o Intervalo SENDO FELIZ!!!


VOCÊ VALE OURO PARA MIM!


Passados mais de 50 anos, eis o que aprendi:
O tempo passa.
A vida acontece.
A distância separa.
As crianças crescem.
Os empregos vão e vêm.
As pessoas não fazem o que deveriam fazer.
O coração se rompe.
Os pais morrem.
Os colegas esquecem os favores.
As carreiras terminam.

Mas..... os verdadeiros amigos estão lá, não importa quanto tempo e quantos quilômetros estejam entre vocês. Um amigo nunca está mais distante do que o alcance de uma necessidade, torcendo por você, intervindo a seu favor e esperando você de braços abertos; abençoando sua vida!

Todos nós, quando iniciámos esta aventura chamada vida, não sabíamos das incríveis alegrias ou tristezas que estavam adiante, nem sabíamos o quanto precisaríamos uns dos outros.
Moral da história: A amizade não se resume só em horas boas, alegria e festa. Amigo é para todas as horas, boas ou ruins, tristes ou alegres.


CONSERVEM SEUS AMIGOS!

PERDOE AS DESAVENÇAS QUANDO HOUVER; SEJA FELIZ AO LADO DELES PORQUE O VALOR QUE ELES TÊM NÃO TEM PREÇO...

 

Texto do sr. Beto...Paulo Roberto.

Janeiro de 2013.          Eiichi Sago.

UM BOM ANO DE 2013 COM MUITOS AMIGOS!

 







Orientação do Sensei.

O que mais importante agora é orar. Diz no Gosho, “Não há estratégia melhor que Sútra de lótus”.

Ore até mudar de fisionomia. Recitar o Daimoku, seriamente do fundo da sua vida, senão, não vai sobrar nada. Se não derrubar as maldades, mesmo que faça os esforços tudo fica em vão.

Em todo caso, faça uma hora por dia sem falta, dentro da sua luta.

Faça Daimoku, antes das atividades, faça Daimoku, antes da orientação e quando chegar em casa, faça Daimoku outra vez.

Assim, não há como não mudar a sua vida. Você já deveria estar sabendo em primeiro lugar. Fora disso não existe luta. Somente quem venceu que conquista as convicções, alegrias e beneficios.

Janeiro de 2013.          Eiichi Sago.


























Sobre “Orientação do Sensei”.

Este artigo publiquei no  FB.  E no meu Blog.  http://sagosgi.blogspot.com.br   Muitos anos atrás feito para os altíssimos dirigentes do Japão da época. Era restrito para a direção, com tempo, chegou nos conhecimentos dos membros em geral.

Ajudou muitas pessoas que colocaram em prática ao pé da letra.

Diante de uma orientação como esta, ou uma frase do Gosho, achar que é maravilhoso só, não vai adiantar nada.

Todos nós somos iguais, não há veteranos e novatos ou dirigentes e membros. Como é que encara e coloca em prática, que faz toda diferença.

Como os japoneses da época, você vai mudar a sua vida, ou não ?

Janeiro de 2013.          Eiichi Sago.



Leis e regulamentos.

 

As coisas acontecem nas nossas vidas, falecimentos de nossos entes queridos, você desespera e não se conforma...

Até xinga o criador. ???    Por que ? Por que ? E por queeê ?  

Não entende porque, não sabe como são as estruturas do universo sobre a vida e a morte.

Já que ninguém pode escapar, percebemos a importância de saber como é que o universo e as vidas funcionam? Vamos procurar na sabedoria milenar da filosofia budista ?  

No budismo, ensina que tudo que rege é a lei, é a lei do universo, fundamental Nam myo ho ren gue kyo. Esta lei é que é poderosa, Não é alguém poderoso que rege o universo, não daria conta mesmo sendo que é poderoso não é? 

Pensando bem, tudo é controlado por uma lei, não é a pessoa, entidade ou qualquer outra coisa. Quando alguma coisa for controlado por alguém, não ficaria  perfeita.  Agora uma lei é definida, imutável, permanente? Não, vamos ver no caso de joga bola.

No jogo de futebol, o que rege uma competição em tempo todo, são  regulamentos. Os Juízes estão para observar para que o jogo aconteça de acordo com os regulamentos. Mas, tem vez que o juizes também erram, aí os públicos xingam, as vezes até as mães deles são  envolvidas também. O bom jogador é aquele que considerado pelo público, um que tem técnica, observa o regulamento e desenvolve o jogo sem incidente e conduz o time para a vitória.

Agora, dependendo da competição, o regulamento também muda. Quer dizer que regulamento também não é guia definitivo e permanente.

Nos outros esportes, regulamentos são outros. Na vida social também tem regulamentos, ser beneficiado porque, bonitos, inteligentes, famosos,  e etc.

Entretanto, em cada local tem costumes e regulamentos diferentes. Nos cada um dos países tem leis próprios.  Então, benefícios e maneira de aplicações também diferentes.

Estas leis também mudam de acordo com as épocas, localidades e os governos. Pois é, as leis e regulamentos não são definitivos e permanentes. Tiveram muitos criminosos que fugiram para outros países e escaparam por esta razão.

As leis e regulamentos são classificados. As leis de um país são superiores que as leis de municípios e estados. As leis da sociedade daquele país são inferiores ainda do que as leis dos governos.  Por exemplo, Pessoas famosas também uma vez consideradas como criminosos culpados, não poderiam receber mais os benefícios da sociedade, tais como bonitos, inteligentes, famosos, e riquezas consequentes.

Entre todas as leis e regulamentos, a única fundamental e absoluta é a lei do universo, Nam myo ho ren gue kyo.  É o que regula permanentemente todo o universo. Supera todas outras leis e regulamentos, independente de países e localidades, tempos e épocas.

Portanto, para viver feliz, vamos conhecer bem a lei do universo e aprender aplica-la nas nossas vidas.

Então não precisamos de  lamentar  demasiadamente, não há necessidade de desesperar, sentir os rancores ao suposto criador e etc.

Já que não pode mudar o regulamento do universo, vamos nos serenos e  tranquilos, só sabe aplicar nas nossas vidas cotidianas e partir para outras questões das nossas vidas com os conhecimentos e sabedorias melhorando com dos um dos estes acontecimentos não?

Agosto de 2012.     Eiichi Sago.   

 






O que é mais importante?

Uma criança pode e deve aprender muita coisa. Entretanto, o que seria essencial?  É comer! Porque, através disso que ele pode manter a vida,  crescer e até aprender outras coisas.

Comer corretamente é uma coisa tão importante, maioria dos adultos sofrem de algumas doenças, porque não aprenderam comer corretamente, comem nas horas erradas, comem as coisas que prejudicam a saúde em proporções erradas, não aprenderam comer as coisas necessários para manter saúde,

 É uma das coisas mais importantes que só ele pode fazer. Então deveria prestar mais atenção na coisa que é fundamental: Comer.

 Se você não aprender comer corretamente, sua vida pode provocar vários transtornos. Come na hora errada, come depressa, come correndo, come sem mastigar suficiente, come de mais, come pouco, come muito doce, come muita gordura, come muito salgado, come no meio da noite, come, come, come, E ficam mais doente  comendo que causas das outras doenças.

 Já não era hora de reeducar a si própria e a vida alimentar dos familiares mais equilibradas?   As mães que normalmente são responsáveis para defender e proteger saúde das famílias, não deveria promover esta questão tão importante? Neste mundo, nada acontece se não fizer nada. Pois é vamos fazer e acontecer!  

Dezembro de 2012.          Eiichi Sago.

 

 

 

 

 

 

 





































VENCENDO AS MALDADES.

Certa vez, o Buda Sakyamuni encontrava-se pregando na cidade de Kausambi. Nessa cidade vivia um homem que o odiava e, transtornado por esse ressentimento, e usando subornos, induziu algumas pessoas malvadas para que divulgassem boatos malévolos a respeito do Buda.

Como consequência, ficou muito difícil para os discípulos de Sakyamuni obterem, naquela cidade, alimentos suficientes através da mendicância, pois a população havia sido contaminada com as mentiras e abusos sobre o Buda e seus discípulos.
Ananda, um dos principais discípulos de Sakyamuni, disse para o Mestre: "Seria melhor não ficarmos nesta cidade; há outras e melhores cidades para onde podemos ir; saiamos daqui."

O Buda replicou : "Suponhamos que a outra cidade seja como esta; que faremos então ?"
"Então iremos para outra" - disse Ananda.

O Iluminado retrucou : "Não, Ananda, assim nunca conseguiremos nosso intento. É melhor que permaneçamos aqui e suportemos pacientemente o abuso, as mentiras e as infâmias, até que se esgotem por si mesmas. Só então iremos para outro lugar."

Continuando, o Buda falou, ainda : "Há lucro e perda, difamação e honra, louvor e abuso, sofrimento e prazer neste mundo; os seres humanos que alcançam a Budicidade não são controlados pelas coisas externas, pois que elas desaparecem tão rapidamente como surgem."

Será que nao estamos mudando demais de cidade em vez de ficar e enfrentar as dificuldades? Eu acho que estou precisando ficar mais na minha...

Artigo do sr. Ronaldo Risset.

Dezembro de 2012.          Eiichi Sago.





































Resolver problemas da organização.

 

Nós somos mortais comuns cheios de defeitos e cacoetes, então seria natural que aconteçam alguns atritos entre uns e outros indivíduos.   

Como a organização é junção desses indivíduos comuns, sem muitas qualificações, estes atritos atrapalham muito as execuções das tarefas nela foi confiada.  Isso a gente chama de problemas da organização.

Então, Problemas da organização não existem. O que tem é, os problemas entre os indivíduos que pertencem a organização.

Agora, como é que vamos resolvê-los?  Os problemas têm causas e origens variadas, vêm das profundezas das vidas dos estados de inferno, fome, animalidade e ira. Portanto as soluções definitivas devem vir através das revoluções humanas de cada um dos envolvidos.

Entretanto, a organização e as outras pessoas não podem esperar que todas transformassem aos indivíduos revolucionados, como é que faz?

É o trabalho de um dirigente superior, experiente, capacitado. E como é que ele pode fazer? Deve ir ao local, sem demora, verificar diretamente dos envolvidos.  Esclarece que se não mudar os comportamentos não podem permanecer nas posições atuais. Se for dirigente, serão exonerados, suspensos, ou expulsos.   E focalizar na consideração de que “A organização é a casa do Sensei, não podemos bagunçar”.

Assim teoricamente é resolvido paliativamente. Mas, as causas fundamentais não foram resolvidas, como vêm das profundezas das vidas, podem voltar qualquer hora.  Indivíduos que provocam  estes tipos de problemas, guardam tendências de repetir os incidentes. Na prática, vai ser difícil, portanto, é necessário os acompanhamentos por dirigentes locais, com comunicação com dirigente responsável do caso.

 Como podem ver que é necessário as experiências, capacidades, e a rapidez de ação do dirigente responsável do caso.

É desejável que os dirigentes com cargos acima dos shibutyos aprendam e adquirem estas experiências e capacidades.

Dezembro de 2012.          Eiichi Sago.

 





Treino.

“Metais que não foram forjados e trinados, entram no fogo forte, derretem rapidamente, como se colocasse gelo no fogo. Enquanto que espadas mesmo que entrando no fogo, não derretem rápidos, aguentam algum tempo, porque foram forjados, batidos, treinados.” Gosho, “Resposta a Shijo Kingo”. Pág. 1169.

É uma frase que mostra, “Mesmo que encontre dificuldades, não se perde e ultrapassa sem problema, se tivesse os treinos no cotidiano.”

Quando ferro é esquentado muito, ferro e carvão se difundem perfeitamente, nesta situação coloca na água, esfriando rapidamente, torna um aço que tem 5 vezes de dureza do que a matéria prima. Também, sendo batido, expulsa os impurezas, acrescenta firmeza e não quebra o fio de corte.

No caso, o carvão é os diversos sofrimentos que acompanham na vida dos praticantes. Praticar o budismo, não significa que não ter mais sofrimentos.  O próprio não se perde com os sofrimentos e quaisquer sofrimentos podem transformar para os motivos positivos da vida. Quando tivermos problemas e sofrimentos, devemos encarar como oportunidade de transformar próprios carmas e crescer e progredir como humano.

De acordo com a orientação da Soka Gakkai “Para o mínimo é o crescimento próprio, para maior que o Kosen-Rufu, é natural que haja uns poucos sofrimentos nos exercícios budistas.” 

Execuções das práticas que baseado no espírito de submeter aos sofrimentos que seria maiores treinos que podem forjar a si próprio.

Dezembro de 2012.          Eiichi Sago.









Histórias do sutra de lótus.
 

 No 11º capítulo, Ken hotoo bon, o Sakyamuni  convidou todos os budas de 10 direções para abrir torre de tesouro, fez o mundo transformar 3 vezes,  limpando o mundo e seu ambiente. Dizem que tocaram as músicas do céu, e choveu pétalas de flores. Neste ambiente purificado, a cerimônia de esclarecer a eternidade da vida foi explanada. (Cerimônia no ar). – Todos os budas e públicos levitando ficaram no ar.

No 15º capítulo, Juuji yujip pon, ele parou os desejos de outros Bodhissatvas de divulgar esta sutra, na era após a morte do próprio Sakyamuni, convocou inúmeros Bodhissatvas da terra. Dizendo “Eu os ensinei estes Bodhissatvas, desde remoto passado (Ryk Kai Gon ken Non)”. Bodhissatvas estes que eram possuidores de uns aspectos e talentos dignos de como os anciões de 100 anos, muito mais do que o Sakyamuni.

Representando a dúvida do público, o Bodhissatva Miroku fez pergunta. “No nosso conhecimento, o senhor chegou a iluminação quando tinha 30 anos da idade. Como é que fez tantos trabalhos tão grandiosos, em tão pouco tempo ?”(Doo Shuu Syoo Gui).

O buda responde, “Não digo”.

 Miroku insiste, “Por favor”

Buda, “Não.”

 Miroku mostra o motivo, “Nós aqui presentes vamos acreditar as palavras do Buda, mas, os que não estão aqui, os que vem depois,  poderão criar dúvidas e cairão no inferno, por favor explique.”(Sansho Fushi)-Pede 3 e não para.

 No Fim o Sakyamuni cedeu, explanou o 16 capítulo(Koo Kai Gon Ken Non). O mais importante e mais profunda visão da vida e do universo.

Como é que são estas coisas?

----------x----------x----------x----------x----------x----------x----------x----------x

Para quem  é que o Sakyamuni explanou sutra de lótus ? Pessoal da época disse que “vamos entender”, conforme o Miroku. Ele pediu para as posteridades, exatamente para os Bodissatvas que nem nós, estamos lutando para realização do Kosen-Rufu. Quanta honra !

Então, nós temos que ver aplicando todos estas histórias, para nossas vidas.  Não?

·        Sakyamuni transformou o mundo, purificando para receber os budas de 10 direção. Nossas reuniões de conselhos, planejamentos,  e de palestras devem ser realizadas no ambientes purificados, Quem reúnem são budas que vieram de 10 direções.

·        Todos os participantes são budas, temos que comportar como tal. Ainda mais levitando, devemos ter espíritos e condições elevadas da vida.

·        Foi definida oficialmente na frente de todos os presentes, Bodhissatvas  da terra  possuem a missão de fazer Kosen-Rufu na era de mappo.  Se nós não fizermos, ninguém mais.

·        O Sakyamuni não queria explanar as coisas mais importantes da vida, senão fosse o espírito de procura do bodhissatva Miroku e suas insistências, nós não íamos conhecer o Gohonzon, não teríamos a essência de todas as filosofia da vida.

·         Levantar perguntas é uma ação importante para o avanço do Kosen-Rufu, “Perguntar, não ofende.”

·        Sakyamuni convocou inúmeros Bodhissatvas da terra, para mostrar como produção do Buda.  E você?   Somente nos aspectos e comportamentos dos membros e dirigentes que você cuidou é que comprova seu trabalho e sua dedicação de você na luta do Kosen-Rufu.

Tem mais...  Vamos pensar juntos, e aplicamos nossas lutas de hoje e aproveitamos de ponta à ponta, todas as vastas campos da filosofia do budismo.

 

Dezembro de 2012.          Eiichi Sago.















































Importância do tempo.

 

Estamos aprendendo importância do tempo. Na criação de valores também tempo é importante. Tenho um membro de DMJ que eu estava observando com bons olhos. Ele era dinâmico dedicado e tinha boa fama na DF. Então me deu muita esperança boa para o futuro do rapaz.

De repente, ele foi nomeado, subiu de cargo. Pensei.....Aiiish! Foi cedo de mais!... Daí a pouco, Eu o vi na reunião, falando, falando ½ hora. E já estava mudando um pouco de seu aspecto, atitude e postura. Achei que ficou mais um pouco de nariz empinado e arrogante. Infelizmente existem muitos casos semelhantes na organização.

Uma pena!  Nomeação de novos dirigentes é um fato de festejar e comemorar. Mas, desse jeito precipitado, é um erro no dirigente superior, só podia lamentar, não é só agora que um erro deste prejudica o indivíduo, deixam traumas desnecessários até muito tempo para  organização e indivíduo.

Os  possíveis valores que foram criados nos processos errados, nunca poderia saber qual maneira que seria certa. Assim, quando chegar a  vez dele de nomear vai errar também. Já pensou quantos prejuízos BSGI poderia levar?

Quando você for responsável em criar os valores nas organizações  Seja cauteloso e prudente. Roma não se constroem em um dia !

Setembro de 2012.          Eiichi Sago.















































Seleção do tempo.

Baseado na essência do universo, três grandes leis secretas, Nitiren Daishonin explana importância do tempo na vida humana.

Três grandes leis secretas é uma visão única do Budismo de Nitiren Daishonin que a participação humana foi inclusa na mais sagrada e mais importante parte de religiões. Junto com o Gohonzon e Local de consagração, Daimoku que nós recitamos também recebeu o maior destaque.

Diferente dos tempos anteriores que foram focalizadas em natureza dos indivíduos e características das localidades, foi definido o tempo, fator determinante do Budismo de Nitiren Daishonin.

Foi concluído que na era do Mappo é o tempo exato da divulgação do Budismo de Nitiren Daishonin.

Através da leitura deste Gosho maravilhoso,  o que nós temos que aprender e como colocamos em prática?

Normalmente nós pensarmos, nos passado, presente, e futuro. Imaginamos que nossas vidas correm deste jeito. Mas, o passado já passou, não tem mais, e o futuro ainda não aconteceu, ainda não tem, só estão nas nossas lembranças e imaginações.

Únicas coisas que temos nas nossas mãos é o presente, por isso que se chama presente, é oferecimento do céu. As vidas são feitas de presentes momentos.

O Buda Original determinou que tempo de Kosen-Rufu é exatamente agora. Nos passados não foram e nos futuros  não se sabem. Você está aqui e agora.  Não é emocionante? É comovente também!

Então quando é que você pratica direito? Quando é que você faz chakubuku?  Faz e acontece o Kosen-Rufu?

É  agora!!!  É  hoje!!!

Junho de 2012.     Eiichi Sago.

 



Profissional ou amador ?

 

Normalmente se chama profissional, àqueles que  faz do determinado talento, conhecimento e capacidade  de fazer ou produzir algumas coisas como profissão e faz do meio de vida.

Em nossos casos, Não fazemos o Kosen-Rufu como profissão, nem ganhamos dinheiro por isso. Só que estamos fazendo isso longos anos desde a conversão.

Então, já deveríamos ter capacidades e posturas de verdadeiros profissionais. Nas lutas e atividades do Kosen-Rufu não há movimentos muito diferentes do que nós já conhecemos.

Portanto, com os longos anos de experiências e acúmulos dos conhecimentos, nós deveríamos  estar chegando de tal maneira que por resultados de produção, possam até impressionar  os outros.

Então, por que observo muitos líderes e dirigentes alguns veteranos que estão na mediocridade de amadores, seriam velhos de casa?

Essencial dos exercícios budistas  é o espírito de procura, se não tiver interesse de aprender resolutamente, nunca poderia evidenciar qualquer valor na sua vida.

No budismo, nada é automático, Se não tiver forte intenção de itinen, nada evidenciaria de bom na sua vida.

Eu pergunto, até quando você vai ser um líder/dirigente/veterano medíocre como está?

Junho de 2012.     Eiichi Sago.







Naranu  monowa  naranu ! (O que não pode, não pode)!




 



Uma região de Aizu Wakamatsu, havia um lorde e centenas de samurais viviam trabalhando e defendendo as vidas dos camponeses e as honras das famílias. Era uma região afastada, e muito pobre. Neste lugar tradicionalmente educavam filhos com mais rigorosidades por necessidades de sobrevivências, para que eles cresçam fortes e robustos. Daí, tomaram este princípio como base da educação local. Não há explicação, não há detalhe de mais, mais. É Muito simples. Quando devem aprender limites das coisas. Não é não !!!

É um espírito dorsal dos samurais  e dos japonêses.

 

Mais tarde, os fatos e realidades comprovaram que desta região saíram muitos valores, não só os jovens, também os samurais fortes e resistentes e uma postura de retidão às dificuldades,  este princípio de educação tornou-se como ícone da educação dos samurais, até dos japoneses em geral.

É simples, por isso que funciona. Justo o que está faltando no mundo da educação de hoje e nas atitudes dos pais, não é?             Julho de 2012.      Eiichi Sago.        

    

 



































 
 
 
Como consertar a organização que apresenta os problemas?

O que vou abordar hoje é uma preocupação, quero que vocês vão pensando como resolver daqui para frente.

Nossa organização do Rio de Janeiro, não está na fase boa, já algum tempo.

Eu, como um dos que preocupam, andei pesquisando com várias pessoas de variadas organizações.

Conclusão, não eram só no Rio de Janeiro, sim, quase todos os territórios brasileiros estão com as dificuldades.

·        Alguém já foi envolvido em problema da organização, ou já viu de perto?   

·        Desentendimentos, injustiças, dirigente judiar membros?

·        Viu que alguém resolver direitinho?

·        Quem está presenciando e preocupado atualmente?

·        Eu acho que hoje em dia, maior problema que atrapalha e atraza, impedindo avanço do Kosen-Rufu está aí. Problemas da organização.  Concorda?

Também quero saber e aprender sinceramente, como consertar tudo isso?  Aí é que é a minha luta verdadeira.

Querendo descobrir alguma maneira, troquei as ideias com várias e várias pessoas. Tentei colocar em práticas algumas ideias. E fiz várias tentativas e experiências.

 Até hoje, não descobri a maneira certa de consertar a organização. Muito mais complicado que eu pensava.

Verifiquei nos casos dos budas, Sakyamuni, Nitiren Daishonin entre outros. Sakyamuni tinha pequeno grupo de pessoas fieis que acompanharam por sua vida inteira.

Mas, entre eles não havia algo que possa chamar de organização, apenas relacionamentos de mestre e discípulos e alguma divisão de tarefas para passar vida cotidiana,  juntos.

Sakyamuni e seu grupo, tiveram triste acontecimento de perder antes, um dos melhores discípulos, Sharihotsu.

 Tiveram que enfrentar várias perseguições provocadas por Rei Ajasse, Daibadatta  etc.

Apesar de que ele havia esquematizado através de profecias, as divulgação do budismo após a morte dele,  budismo enfraqueceu por cada era que passou, até desviaram o espírito original do Sakyamuni.

Somente  após 1000 anos, Tientai, O grande na China, e Dengyo Daishi no Japão, conseguiram consertar o budismo. Apesar de estas façanhas maravilhosas, isso não durou muito tempo.

Mais tarde, O Nitiren Daishonin fez seu advento no Japão, ele era literalmente sozinho não havia qualquer tipo de organização. O que ligava Nitiren Daishonin e seguidores era apenas confiança mutua, mais forte do que relacionamentos de marido, mulher, pais e filhos.

 Será que a fonte da ideia de organização ideal, não estaria aí?

Pensando bem, cadê a organização?

 Kaikans, centros culturais, ou outros prédios?

Cargos ou poder de comando dos dirigentes?

 Ou variadas atividades que a organização promove?

Não, nada disso é a organização. Então, organização não existe?

 

A organização existe, nos relacionamentos e confianças entre variados membros que tem mesmas linhas de pensamentos, como faziam  Nitiren Daishonin e seus seguidores.

Atualmente Soka Gakkai é considerada como uma das organizações mais fortes do mundo.

Porque, Sensei e os membros estão ligados forte espírito de confianças.

Encima disso está sendo estruturada uma organização forte, moderno, atualizada.

Pois é chegando a origem da organização, estamos vendo uma luz que diz, como consertar organização e seguirmos o caminho correto do budismo.

Resgatando os  espíritos e valores  do Nitiren Daishonin e da Soka Gakkai. Não será que nós também poderíamos fazer?

Focalizamos nossas atenções nos relacionamentos entre os membros

E assim, acredito que irão surgir vários valores que transmitem e sustentam o Budismo de Nitiren Daishonin, nas épocas atuais e vindouras.

Novembro de 2012.          Eiichi Sago.

Nenhum comentário:

Postar um comentário